Home / Árvores / Fruta-pão

Fruta-pão

Nome Popular: Fruta-pão, fruta-pão, jaca-de-pobre, rima e árvore-do-pão
Nome Científico: Artocarpus altilis
Família botânica: Moraceae
Habitat: Tropical
Local de ocorrência: É planta originária da Indomalásia (Java ou Samatra) ou da Malásia
Frutos e Floração: Seu fruto é base alimentar para povos ilhéus da Polinésia (Oceano Pacífico). Seus frutos são conhecidos pelo elevado valor nutricional e versatilidade culinária, sendo a base alimentar de alguns povos polinésios.
Estado de conservação: Pouco Preocupante
Características gerais: As frutas-pão dividem-se em duas variedades: a apyrena, conhecida por fruta-pão de massa, que não possui sementes, e a seminífera, conhecida por fruta-pão de caroço, que apresenta numerosas sementes comestíveis e polpa não comestível.

A fruta-pão também é uma árvore ornamental, de grande porte e crescimento rápido, podendo alcançar 20 metros de altura. Longeva, vive cerca de 80 anos. Sua folhas são muito bonitas, grandes, perenes e profundamente lobadas. Além disso, as fibras de suas folhas são aproveitadas na fabricação de cordas e esteiras, e sua madeira serve para fabricar forros, portas e instrumentos musicais. Se for machucada, exsuda um látex leitoso que tem aplicações artesanais, para calafetação e como cola. A fruta-pão é uma planta monoica, isto é, com os dois sexos na mesma planta e flores separadas, masculinas e femininas. As flores são pequenas e sem pétalas. A polinização é cruzada, mas a frutificação não depende da polinização.

Os frutos são grandes, e chegam a pesar 3 quilogramas. Sua casca é de cor verde-amarelada e sua polpa é amarelo-escura nas frutas de massa e amarronzada na variedade com sementes. A alimentação é o principal uso da fruta-pão, que é saborosa e rica em vitaminas B1, B2, C, cálcio e ferro. A fruta-pão tem também usos medicinais tradicionais: sua polpa é a base de uma pasta para tratar furúnculos, a raiz é empregada para combater diarréia e reumatismo, as sementes são usadas contra males de estômago e rins e o látex, para cicatrizar feridas.  e podem ser consumidas cozidas, assadas, em doces ou até mesmo fritas. Também podem ser transformadas em farinha e utilizadas em panificação e confeitaria. As sementes também são comestíveis e podem ser preparadas como outras castanhas, assadas ou cozidas.

A frutificação inicia-se após 3 a 5 anos de implantação.